Glúten x Psoríase

A psoríase é uma doença inflamatória autoimune, crônica, que frequentemente está associada
e coexistente com outras doenças de relacionadas ao sistema imunológico, incluindo as que
afetam a integridade do trato gastrointestinal.
A doença celíaca é uma condição autoimune, desencadeada pela ingestão do glúten em
indivíduos geneticamente predispostos, tendo sido frequentemente associada à piora da
psoríase. O glúten é uma proteína formada pela união da gliadina e glutenina. Uma das formas
diagnósticas para a doença celíaca é a realização do teste para a detecção do anticorpo anti
gliadina (AAG), entretanto, a presença deste anticorpo em portadores de psoríase e sua
relação com a gravidade da doença mostram a associação entre estes distúrbios.
Um grande estudo realizado pelo Journal of Investigative Dermatology (2011) demonstrou
que indivíduos com doença celíaca têm risco aumentado de psoríase, tanto antes quanto
depois do diagnóstico de intolerância ao glúten.
No entanto, a evidência epidemiológica ainda é inconclusiva, uma vez que alguns estudos não
demonstraram uma associação entre psoríase e doença celíaca, tanto a nível clínico ou
sorológico.
Se realmente existe, a associação entre doença celíaca e psoríase pode ser explicada por vários
mecanismos, como por exemplo: a má absorção de nutrientes e o aumento da permeabilidade
intestinal associada à doença celíaca, podem predispor à deficiência de vitamina D, que possui
correlação com o desenvolvimento da psoríase;
Embora os dados disponíveis sobre a coexistência de doença celíaca e psoríase ainda sejam
inconclusivos e os potenciais mecanismos fisiopatológicos permaneçam em sua maioria
hipotéticos, um grande conjunto de evidências sugere que pacientes psoriáticos, com doença
celíaca concomitante ou intolerância assintomática ao glúten, podem se beneficiar da dieta
isenta de glúten. Em um estudo com pacientes psoriáticos que apresentavam resultados
positivos para anticorpos anti gliadina (AAG), a dieta livre de glúten em 3 meses resultou em
uma diminuição significativa na área afetada da pele.
Em outro estudo, curiosamente, cerca de 50% dos pacientes com resultado positivo para AAG
não demonstraram evidência endoscópica da doença celíaca antes da implementação da dieta
sem glúten, o que sugere que essa dieta também pode ser benéfica em psoriáticos com
sensibilidade ao glúten assintomática.
Resumindo, a coexistência relativamente frequente de doença celíaca e psoríase justifica o
monitoramento de pacientes com qualquer condição de evidência clínica do outro. Além disso,
os níveis séricos de vitamina D devem ser controlados regularmente em pacientes com doença
celíaca, com ou sem psoríase concomitantemente. Ainda mais importante, a implementação
de dieta isenta de glúten deve ser considerada em psoriáticos que apresentem evidências
sorológicas de intolerância ao glúten ou sinais clínicos de doença celíaca.

PIETRZAK, Daniel et al. Digestive system in psoriasis: an update. Archives of dermatological
research, v. 309, n. 9, p. 679-693, 2017.