Domingo é o Dia da Pizza

A pizza não deve ser considerada uma vilã da boa alimentação, já que existem muitas opções com vegetais, cogumelos, atum, queijo branco, sem queijo etc.

O ideal para a saúde é que não se ultrapasse o consumo de duas fatias por semana e as opções de massa fina costumam ter até 80 calorias a menos do que as de massa grossa. Para quem está controlando o peso, o melhor consumo é de pizzas que incluam vegetais como brócolis, tomate, cebola, rúcula e palmito, as que são feitas sem queijo ou com queijo branco, e as de atum ou berinjela.

Algumas comparações de pizzas mais e menos calóricas:

Mais calóricas:

  • Quatro Queijos – 370 kcal por fatia
  • Calabresa – 345 kcal por fatia

Menos calóricas:

  • Brócolis, berinjela, espinafre ou cogumelos – de 248 a 264 kcal por fatia
  • Mussarela – 289 kcal

Mas é bom ficar atento, pois, mesmo sendo pouco calórica, uma fatia de pizza de mussarela, por exemplo, contém no mínimo 35 mg de colesterol ruim.

Ingredientes como vegetais, cogumelos e atum, ainda que na forma de pizza, podem ser considerados fontes de nutrientes.

Os cogumelos são ricos em aminoácidos importantes para a imunidade e o atum é rico em ômega-3, que é uma ácido graxo essencial com propriedades anti-inflamatórios e que ajuda a reduzir os níveis de colesterol no organismo. Além disso, sempre que acrescentamos hortaliças, ervas e especiarias nas receitas, além do prato ficar saboroso, elas funcionam como um saciador natural, evitando o consumo exagerado de alimentos mais calóricos.

Principais propriedades dos ingredientes presentes em alguns sabores de pizzas:

Tomate (molho e in natura) – alimento de baixa caloria, rico em licopeno, que ajuda a combater os radicais livres e protege a pele de agressões do dia a dia, além de ajudar no bronzeado e prevenir câncer de próstata e de pele.

Queijo branco – rico em proteínas importantes para a formação de músculos, excelente fonte de cálcio, auxiliar na sensação de saciedade e com baixa quantidade de gordura.

Atum – proteína de alto valor biológico, rico em ômega 3, um ácido graxo necessário para a comunicação intra e extra celular. Além disso, reduz o nível de triglicerídeos do organismo e ajuda no controle das dores articulares e sintomas da TPM.

Rúcula – faz parte de um grupo de hortaliças que contém compostos bioativos que atuam na detoxificação hepática e na proteção contra o câncer de mama, em função de sua ação quimiopreventiva.

As  principais substituições que podemos fazer nas pizzas preparadas em casa, para torná-las mais leves e saudáveis são:

  • Trocar 50% da farinha branca pela integral na massa.
  • Substituir o queijo amarelo por branco e o molho de tomate industrializado pelo caseiro.
  • Incluir vegetais e proteínas sem gordura nos recheios, de modo a diminuir a quantidade de queijo.

Na pizzaria, uma boa dica é experimentar as pizzas mediterrâneas, que contém menos ou nenhum queijo, com bastante tomate, pimentão, berinjela e atum.

As pizzas de vegetais são sempre uma saída inteligente para não deixar de consumir essa delícia e ainda consumir nutrientes e fibras. As com berinjela, cogumelos, rúcula, brócolis e abobrinha são deliciosas, fazem bem ao organismo e ainda contam com propriedades antioxidantes, que são boas, inclusive, para a saúde da pele.

Quando incluímos especiarias como cúrcuma e pimenta, que são alimentos termogêncios, ajudamos, inclusive, o organismo a “queimar” as calorias com mais facilidade.