Conheça a infusão feito da casca do cacau

A principal matéria-prima para a produção de todos os tipos de produtos de cacau é o cacau seco e fermentado, e as cascas de cacau são um dos subprodutos do cacau obtido na indústria de chocolate. Aproximadamente vinte tipos de cacau são conhecidos, e os três tipos mais populares (Crioulo, Forastero e Trinitario) representam 95% da produção mundial total de cacau. Ultimamente as indústrias estão se conscientizando, afim de reduzir o desperdício e reaproveitar este precioso subproduto, que em relação à sua composição química, podemos ressaltar alguns nutrientes e compostos bioativos como:

Os mais comuns são os flavonoides:
Epicatequina, catequina e procianidinas, o que confere a casca de cacau uma ação anti-inflamatória, antioxidante, ações anti-bacteriana, anti-viral e de inibição de enzimas relacionadas a produção de substâncias inflamatórias, como as da via ciclooxigenase. Por ter efeito vasodilatador, favorece a chegada de oxigênio, nutrientes e melhora a hidratação da pele.

Além dos três flavonoides mais comuns, que são compostos fenólicos, também contém outros nutrientes:

Ômega 6 e  9: ambos em equilíbrio com a ingestão de ômega 3, evitam a exacerbação da produção de citocinas inflamatórias, que estão relacionadas a supressão da imunidade;

Magnésio: importante no metabolismo ósseo, possui efeitos cardioprotetores de forma que melhora arritmias cardíacas, aumenta o fluxo sanguíneo para as artérias que irrigam o coração (coronárias), além de inibir a agregação plaquetária, auxiliar na produção de hormônios da tireóide, controlar a glicemia e reduzir os níveis de PCR (uma proteína relacionada à inflamação)

Cafeína: aumenta a estimulação dos receptores adrenérgicos, resultando em aumento do gasto energético e estimulo para a perda de gordura corporal (ação termogênica), podendo favorecer o emagrecimento, se associada à uma alimentação equilibrada;

Teobromina: assim como a cafeína, pertencente ao grupo das metilxantinas, pode estimular a lipólise (“queima” de gordura) por sua ação termogênica;

Fibra solúvel (pectina, hemicelulose): melhoram quadros de diarreia, auxiliam na redução do colesterol e da glicemia, é substrato para as bactérias intestinais fermentarem e produzirem energia e gases para que as células intestinais se renovem, além de ressaltar a importância da microbiota na produção de vitamina K, essencial no processo de coagulação sanguínea;

Fibra insolúvel (celulose):  melhoram a constipação intestinal (sempre associe à uma adequada ingestão de água), acelera o movimento do bolo fecal, diminui o risco de diverticulite (inflamação das alças intestinais) e hemorróidas

Propriedades anticariogênicas: os compostos fenólicos presentes possuem ação anti cárie, por inibirem uma enzima chamada glicosiltransferase, que é produzida pela bactéria S.mutans, que em segundo momento favoreceria o aumento da espessura das placas bacterianas.

Uma alternativa para o consumo é a infusão da casca de cacau! Você pode encontrar em casas de produtos naturais ou pela internet.

Modo de preparo:
Leve a água ao fogo. Assim que começar a levantar as primeiras bolhas, desligue. Aguarde por
5 minutos, adicione 3 colheres de sopa de casca de cacau e abafe por 10 à 15 minutos. Antes de consumir, coe e consuma em xícaras de 200mL no decorrer do dia.

Marque sua consulta para uma avaliação nutricional e receba seu planejamento alimentar individualizado: (21) 2255-6132 / (21) 99845-6132