Óleo de coco o queridinho da vez das dietas

Para falar sobre os benefícios do óleo de coco é necessário entender um pouco sobre a sua composição e metabolismo.

O óleo de coco é uma gordura saturada e por muito tempo foi alvo de preconceito em função disso.

Porém, a gordura saturada do óleo de coco é composta por triglicerídeos de cadeia média, e são exatamente esses triglicerídeos de cadeia média que conferem os benefícios do óleo de coco extra virgem.

Os triglicerídeos de cadeia média são utilizados há muito tempo na Nutrição enteral em pacientes graves com digestão, absorção e metabolismo prejudicados em função de diversas patologias, por sua capacidade de oferecer energia imediata sem passar pelo processo de digestão dos outros tipos de óleos.

Os triglicerídeos de cadeia média são formados por ácidos graxos de cadeia média, e no caso do coco os ácidos caprílico, cáprico e o láurico em maior quantidade. A grande vantagem dos triglicerídeos de cadeia média é exatamente o seu metabolismo, pois esse tipo de triglicerídeos são absorvidos intactos no intestino delgado, após serem quebrados pela lípase lipoproteica (enzima responsável pela sua digestão) tornando-se ácidos graxos de cadeia média. Boa parte dos AGCM são utilizados pelos próprios enterócitos (células do intestino) como fonte de energia, e  nesse caso tem um papel importante para integridade da membrana intestinal e para imunidade,  os ácidos graxos de cadeia media   que não forem  utilizado no próprio intestino serão absorvidos e transportados para o fígado, onde sofrerão a ação carnitina para entrarem na célula e fornecerem energia, esse metabolismo rápido confere ao óleo de coco a capacidade de gerar energia, saciedade  e não  gerar depósitos de gordura favorecendo a boa forma e a eliminação da gordura localizada. Vários estudos foram  e  ainda estão sendo realizados em busca da descoberta do potencial de seus benefícios ou malefícios!

Um estudo de Assumpção El Al ( 2009) feito com mulheres consumindo   30 ml de óleo de coco junto com uma dieta hipocalórica e exercícios aeróbicos, obteve ótimos resultados na  redução da gordura abdominal, na  redução do LDL colesterol e aumento significativo do HDL colesterol.

Outro estudo feito com 32 pacientes, durante 12 semanas consumindo 30ml de óleo de coco fracionado em três refeições principais em  uma unidade de cardiologia, apresentavam níveis de colesterol aumentado e sobrepeso, obtiveram resultados importantes na redução da gordura abdominal e do índice de massa corporal.

O estudo concluiu que as evidencias cientificas comprovam que os TCM, possuem ritmo  oxidativo  acelerado ( utilização como fonte de energia, célula), influenciando para cima a taxa metabólica basal favorecendo a eliminação da gordura abdominal, além de apresentar um efeito positivo na sinalização da saciedade.

Mesmo com ótimos resultados das pesquisas é importante que fique claro que o seu consumo do óleo de coco não deve ser abusivo, 30 ml ao dia fracionado e acompanhado de exercícios físicos e alimentação balanceada. É fundamental que seja extra virgem para obter a integridade dos benefícios do óleo de coco.

Pessoas com diabetes, cirrose e outras patologias crônicas e degenerativas não devem consumir os TGM sem orientação de um Nutricionista.

Por mais que os resultados das pesquisas sejam positivos, podem variar conforme a individualidade bioquímica de cada paciente.

O ácido caprílico também presente no óleo de coco extra virgem é uma ótima opção para atenuar a irritação causada pela cândida, e para prevenir a candidíase de repetição. Uma dica muito interessante e pouco conhecida é a sua ação no tratamento das aftas e estomatite. Crianças com o famoso “sapinho” também se beneficiarão com o uso do óleo de coco local.

Em 2007, vários estudos foram publicados confirmando seus benefícios a saúde, e é claro que as empresas produtoras do óleo de coco aumentaram e melhoram a qualidade dos seus produtos adequando o seu maquinário a extração a frio, além do investimento e, publicidade.

A comercialização e distribuição dos produtos também aumentaram, há 4 anos atrás era muito difícil encontrar o óleo de coco extra virgem nas lojas .

O óleo deve ser prensado a frio para garantir a integridade de seus compostos ativos.  Deve ser totalmente transparente quando estiver em sua forma liquida e ou branco quando solidificar em função da diminuição da temperatura.   Se não solidificar não e óleo de coco e se for amarelado também não. Prefiro usar o produto natural na alimentação do que na forma de capsulas, é mais estimulante comer um peixinho assado com óleo de coco do que consumir capsulas.

O ácido láurico ainda favorece a função tireoidiana mantendo o metabolismo ativado. Após a digestão se transforma em monolaurina, substância também encontrada no leite materno responsável por exercer forte ação antibacteriana, antiviral e antiprotozoária, combatendo vários micro-organismos maléficos ao ser humano, como cândida albicans, citomegalovírus, clamídia, estreptococos, giárdia, helicobacter pylori, herpes, ect.